MVP: A inteligência por trás dos lançamentos

Publicado em: 09/04/2021

Cada vez mais estamos analisando onde vamos investir nosso dinheiro, e isso não é diferente no mundo corporativo.
Bem provavelmente, você já deve ter ouvido falar sobre o MVP, mas o que significa essa sigla que nem sempre é tão fácil de ser lembrada?

MVP é Minimum Viable Product, traduzido literalmente para o português, significa Produto Mínimo Viável.
Este termo, apesar de não tão viável para memória (risos), é imprescindível para não arriscarmos todo o dinheiro em algo que possa apresentar riscos de não se adaptar ao mercado.

Pra quem é?
O MVP nasceu para a realidade do mercado de inovação e startups, porém, conquistou o mundo ao trazer mais segurança na hora de lançar um produto ou serviço. Então, podemos dizer que ele pode ser aplicado por qualquer tipo de empresa e negócio.

É claro que as startups ainda têm uma maior inclinação à aplicação do MVP, pois, geralmente, trabalham com inovações disruptivas (aquelas que rompem os padrões atuais) e, portanto, é importante diminuir a imprevisibilidade e riscos.

Pra que serve/Como funciona
E vamos lá!
Imagine que você irá abrir uma sorveteria com sabores autênticos, antes seria interessante saber o que os consumidores acham da ideia, certo? Então, seguindo o MVP, você poderá montar uma tenda em algum lugar e fazer uma experimentação do seu produto com um certo número de pessoas. Durante o teste, é importante coletar as informações e opiniões dos consumidores para ter um feedback do seu produto.

E se a resposta for um pouco fria (pegou a referência? rs), você não irá ter gastado um moooonte de dinheiro.

É para isso que serve o MVP, uma versão do produto que passa por todas as etapas de um novo negócio, mas com o mínimo de esforço e investimento envolvido.

As etapas são:

CONSTRUIR > MENSURAR > APRENDER

Neste processo, podemos considerar algumas reflexões:

  • Defina o que o produto vai resolver ou oferecer de diferente
  • Não se prenda aos detalhes técnicos, estéticos, de UX
  • Faça testes e colha feedbacks

Os tipos de MVP

MVP Concierge
O MVP Concierge tem este nome, pois ele atende as necessidades dos clientes de maneira próxima e personalizada. Não precisa ter um produto próprio, evitando custos altos de investimento no desenvolvimento deste, podendo ser, então, um serviço exclusivo, como por exemplo a Food on the Table, que é um serviço web que ajuda as mães a planejar e a economizar nas refeições semanais da família. Neste modelo, coleta-se dados e informações sobre as necessidades objetivas dos clientes, trazendo, então, a melhor solução.

Mágico de Oz
Muito próxima da Concierge, o MVP Mágico de Oz proporciona também serviços exclusivos, porém é um processo mais manual, com pessoas acompanhando todo as etapas para detectar falhas e possíveis oportunidades de melhoria. Um exemplo deste modelo é uma companhia de táxi, que ligava pedindo táxi para os primeiros usuários da sua plataforma. O benefício deste modelo é o envolvimento máximo no processo essencial do seu produto.

MVP Fumaça
O MVP Fumaça é uma forma simples de divulgar seu produto para seus clientes, pode ser em formato de vídeo, Power Point, Landing Pages e mais. O importante é o nível de interesse poder ser mensurado por meio da taxa de conversão da página e cadastro para download de algum material. Assim, você consegue identificar o nível de empatia do público com o seu produto ou serviço e entender melhor os próximos passos. Um exemplo para este modelo é o lançamento de algum curso online, uma forma de avaliar é criar um vídeo e uma landing page como apresentação do produto.

MVP Duplo ou A/B teste
Este modelo é o teste AB do seu produto. Isso significa que você vai desenvolver o produto em dois formatos para analisar a sua aceitação, o desenvolvimento e a experiência do cliente. O produto pode ter variações em: tamanho, forma de uso da interface, compatibilidade, maneiras de segurar e/ou transportar, sistema operacional e mais.

MVP Protótipo
É feito com um exemplar do produto ou serviço, fazendo com que o cliente experimente, explore e avalie. Ideal para softwares e funcionalidades complexas, o protótipo é um exemplar funcional da solução. Por ser mais completo e se parecer muito com o produto final, esse tipo de MVP costuma sair mais caro em relação à maioria dos demais.

Como implementar o feedback do cliente?
Falamos muito sobre como é importante o feedback e a experiência do cliente no teste do produto. Por isso, para mensurar, é preciso compilar de forma organizada os MVPs que irão ser testados, por quem e como será feita a coleta das devolutivas.
Pesquisas qualitativas e quantitativas são ótimas opções e cada uma será mais eficiente para cada tipo de teste.

Consigo identificar o tipo de consumidor durante o teste de MVP?
Durante os testes e pesquisas, é possível ser moldado um perfil de consumidor, mas pode ser também que este não seja seu público-alvo final, após todas as melhorias e evoluções. Portanto, é indicado acompanhar e fazer pesquisas e testes constantes a cada atualização.

Geralmente, os tipos de consumidores são:

  • o consumidor satisfeito, que gostou muito do MVP e não irá sugerir nenhuma mudança;
  • o consumidor indeciso, que contribui com algumas sugestões, pois gostaria de ver algumas melhorias;
  • o consumidor confuso, que não vai entender muito bem no primeiro momento a solução oferecida no MVP;
  • o consumidor que não se interessou pelo seu MVP.

Viu como é importante implementar um MVP em um novo negócio?

Os riscos de gastos são controlados, você testa a viabilidade e didática do seu produto e ainda consegue identificar seu público-alvo.
E isso tudo foi só um gostinho! Quer saber na íntegra tudo sobre MVP e como aplicá-lo em seu novo projeto? Temos um treinamento que explica tintim por tintim!