O que o BBB ensina sobre Liderança Inclusiva?

Publicado em: 20/01/2022

Mulher líder em cadeira de rodas com texto "O BBB e a Liderança Inclusiva"

“Se pudesse escolher, entre o bem e o mal, ser ou não ser”…

Você pode não assistir, mas com certeza conhece essa música! (E, provavelmente deve conhecer os perrengues que acontecem na “casa mais famosa do Brasil”, a do Big Brother Brasil).

O programa ficou bastante conhecido no início por ser um reality show onde jovens se paqueravam nas festas, disputavam a prova do líder e, às vezes, brigavam pelo feijão. Com o tempo, o cenário começou a mudar. Você liga a TV, e durante o mesmo reality (só que agora mais recentemente), está acontecendo quase que uma Guerra de Tróia! Surtos e mais surtos, choros e lamentações, rainhas e reis do drama e palavras ofensivas atiradas por tudo quanto é lado (e, nem é por conta do feijão).

A aposta em colocar perfis mais diversos de pessoas, cada uma com suas experiências de vida, pode ser uma demonstração de alinhamento com pautas que ganharam relevância nos últimos anos e estão em alta, como é o caso da diversidade.

Aliás, a diversidade é algo superimportante – e não só em reality shows, mas também no meio corporativo. A questão é que responsabilidade e programas de inclusão precisam andar lado a lado!

E, quando se fala de responsabilidade, é que as empresas precisam criar uma estrutura para favorecer a diversidade e a inclusão como práticas recorrentes, tanto na área de Recrutamento e Seleção quanto no Treinamento e Desenvolvimento, bem diferente do BBB (que é um programa de entretenimento), criando um espaço para um diálogo verdadeiro e um acolhimento bem cuidadoso, feito por uma peça-chave: um líder facilitador!

E é aqui que entra um termo incrível e inovador: a Liderança Inclusiva! Você já ouviu falar?

Essa forma de liderar abre portas um ambiente mais saudável, onde as pessoas se sentem valorizadas, respeitadas, e reconhecidas em todas as suas potencialidades, com um alto grau de pertencimento e identificação com a empresa.

Afinal, não basta apenas acolher e incluir, porque isso é só o começo.

A Liderança Inclusiva acontece todos os dias nas empresas e quer inspirar as pessoas do time, cada um com as suas particularidades, a contribuírem ativamente para que cada dia seja construtivo e inovador.

Tá no paredão!
Se você ficar sentado esperando, vai acabar indo pro paredão. Aliás, este é um dos maiores desafios encontrados por líderes inclusivos. Diversidade e Inclusão não caem do céu, é preciso abrir espaço para fazer acontecer!

O líder sabichão, aquele que acha que sabe de tudo e é o famoso “cabeça dura”, não combina com um modelo de Liderança Inclusiva. Líderes que incluem suas equipes sabem reconhecer que não sabem de tudo e erram e, claro, dão ouvidos às ideias e a criatividade de sua equipe.

“Ele sempre dá o crédito das boas ideias pra fulano, porque é o queridinho dele”. Equidade é fundamental para líderes inclusivos. Então, o que se espera é que ele reconheça as qualidades e leve em conta os palpites e ideias (mesmo as mais mirabolantes) de cada um.

Como promover a liderança inclusiva (Você já tem “O anjo”!)

Comunicação Não Violenta
Um líder inclusivo precisar conhecer muito bem sua equipe, e para fazer isso, é necessário ouvir e falar de forma respeitosa. Essa troca permite uma entrega honesta e empática.

Lembre-se sempre: expressar-se de forma correta reduz atritos na comunicação da equipe.

Saiba mais clicando aqui.

Empatia
A empatia dentro do ambiente de trabalho é um dos últimos românticos que restaram no mundo corporativo. rs

Significa demonstrar compreensão com as emoções e o ponto de vista do outro. É se colocar no lugar das outras pessoas, sendo uma soft skill superimportante para um líder inclusivo.

Como um exercício, #ficaadica: lembre-se de acolher outras pessoas, ouvir suas dores e angústias (assim como as conquistas) sem fazer juízo de valor sobre elas.

Vieses inconscientes
E por falar em juízo de valor, os vieses inconscientes são mecanismos do nosso cérebro, que se baseiam tanto em nossas experiências durante o decorrer da vida, quanto como parte de uma herança ancestral (e até primitiva).

Esse jeitinho de criar estereótipos mentalmente é quase inevitável. Você já percebeu que muitas vezes associa um juízo de valor a alguém sem nem ter trocado uma palavra com elx? São os Vieses Inconscientes agindo!

Um líder inclusivo precisa auxiliar seus colaboradores a escapar desses vieses e neutralizá-los! Mostrar o caminho das pedras para ligar a autovigilância e como perceber que está reagindo no piloto automático.

E falando em caminho das pedras…
Não precisa ser nenhuma Juliette para saber que existem inúmeras oportunidades de ser um líder confiante e eficaz nas interações com pessoas que fogem dos tão falados “padrões”, independente do ambiente, e continuar na liderança!

Uma dessas oportunidades é o treinamento sobre Liderança Inclusiva que a Happmobi desenvolveu para a sua empresa investir num capital humano de liderança que saiba promover a diversidade e a inclusão e, dessa forma, ganhar times mais criativos e inovadores.

Agora, pra fechar, a pergunta de 1 milhão de reais: Líderes também podem (ou melhor, devem) servir?

Dê o seu voto e descubra a resposta no nosso treinamento.

Tags: