5 razões para seus times aprenderem a Libras

Publicado em: 05/08/2022

Você se lembra de “Ensaio sobre a cegueira”, clássico livro do escritor português José Saramago que virou filme, dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles?

Nele, explicando bem resumidamente e sem entrar em detalhes sobre a metáfora do enredo (porque isso daria uma dissertação de mestrado, rs…), uma epidemia de cegueira atinge repentinamente um grupo de pessoas que, então, precisa “reaprender” a viver vendo apenas um clarão branco à sua frente.

Vamos fazer um paralelo com a surdez e com uma história real.

Imagine que em vez da cegueira, a história abordasse a surdez.

Você se lembra de “Ensaio sobre a cegueira”, clássico livro do escritor português José Saramago que virou filme, dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles?

Nele, explicando bem resumidamente e sem entrar em detalhes sobre a metáfora do enredo (porque isso daria uma dissertação de mestrado, rs…), uma epidemia de cegueira atinge repentinamente um grupo de pessoas que, então, precisa “reaprender” a viver vendo apenas um clarão branco à sua frente.

Vamos fazer um paralelo com a surdez e com uma história real.

Imagine que em vez da cegueira, a história abordasse a surdez.

É essa a importância maior da Libras, a Língua Brasileira de Sinais: permitir que os surdos se comuniquem (entre si e com pessoas não surdas) e, além disso, sejam incluídas socialmente!

O que é a Libras?
A Libras é uma língua visual-gestual, ou seja, um idioma composto por movimentos corporais, expressões faciais e gestos com as mãos perceptíveis através da visão, por meio da qual as pessoas surdas se comunicam. E olha só: os avanços da Libras são relativamente recentes. A Lei n.º 10436/2002 que instituiu a Libras como a língua oficial da comunidade surda no Brasil é de 2002, ou seja, tem vinte anos.

A Língua Brasileira de Sinais é exclusividade brasileiros, pois a Libras não é universal: cada país tem a sua própria língua de sinais. Interessante, né!?

E tem mais: a Libras tem uma gramática própria, tanto que os sinais (que seriam as palavras da língua oral-auditiva) são definidos pela combinação da forma e movimento das mãos e da posição do corpo – ou no espaço – onde são feitos e, assim como ocorre na comunicação oral, possui expressões com significados diferentes dependendo da região do país.

Libras no ambiente corporativo
Prover meios para que os colaboradores – do CEO ao estagiário – conheçam a Libras e desenvolvam a habilidade de se comunicar através dela é importantíssimo para qualquer negócio. Primeiro, porque é uma forma de inclusão, seja o caso de a sua empresa ter um colaborador surdo ou mesmo um cliente (ou qualquer outro stakeholder) com deficiência auditiva.

Já imaginou participar de uma reunião de negócios com um investidor em que um dos interlocutores só se comunique por Libras, mas ninguém conhece a língua? Pensa no climão… Ou então, um cliente surdo que procura a sua loja porque gosta da marca, mas não consegue ser atendido porque não o entendem!? Tenso!

E, além disso, vão mais 5 motivos pra você treinar seus times para aprenderem Libras:

  • Conhecer e se comunicar com pessoas diferentes;
  • Ampliar a visão de mundo;
  • Melhorar o raciocínio;
  • Adquirir uma nova competência e
  • Destacar-se profissionalmente.

A boa notícia é que a Happmobi desenvolveu uma série exclusiva de treinamentos sobre a Língua Brasileira de Sinais. São três módulos, nos quais os seus colaboradores conhecerão toda a formação da Libras, desde que Edouard Huet chegou por aqui, os avanços recentes para a comunidade surda, a gramática básica da língua e como se comunicar por Libras, unindo gestos, expressão corporal e facial.

Dá só uma olhadinha nos principais tópicos da Trilha de Libras:

  • Alfabeto e nomes;
  • Configuração da mão e da expressão corporal e facial;
  • Números;
  • Verbos e expressões emocionais;
  • Profissões;
  • Cores, roupas e objetos;
  • Frases simples e
  • 5 dicas para conversar com deficientes auditivos.

Tags: