Inovação Aberta: é para sua empresa!

Publicado em: 19/03/2021

Quem não gosta de ter novas ideias, seja para aprimorar um produto, reformular ou até mesmo criar algo novo e ainda lucrar com isso? É o que cada vez mais as empresas fazem hoje em dia. E a palavra responsável por esse movimento é a: Inovação.

Você sabe o que é quando aprendeu seu significado na escola ou na vida, mas será que sabe como ela está sendo aplicada no mundo corporativo atual?

Para começar, temos três tipos de Inovação:

Melhorias 
São melhorias ou atualizações feitas em algo que já existe. Por exemplo criar novos sabores para um sorvete. É um tipo de inovação mais comum, por ser mais barata, menos arriscada e complexa.

Radical 
Este é um processo complexo. Resulta em uma nova oportunidade de mercado, algo que outras empresas não estão enxergando. 
Por exemplo, substituir softwares de CRM tradicionais, em desktops, pelo CRM na nuvem, que poderia ser acessado em qualquer momento e de qualquer lugar.

Disruptiva 
Tem um alto impacto e pode, até mesmo, alterar o comportamento de consumo. Pode acabar deixando uma solução anterior obsoleta. Um bom exemplo de inovação disruptiva é o caso de uma grande empresa que, há alguns anos, encontrou uma maneira de oferecer serviço de música para o consumidor, sem que ele precisasse comprar mais CDs.

Importante: uma ideia só passa a ser inovação quando é colocada em prática e traz resultados reais. 

E você já conhece os termos Inovação Aberta e Inovação Fechada?

Vamos pensar juntos!

Em 2003, um grande pesquisador chamado Henry Chesbrough, da renomada Universidade da Califórnia, criou o termo “Inovação Aberta”.

Certo, mas o que é isso? 
Inovação Aberta é um processo colaborativo baseado na busca por referências fora da organização. Por exemplo, a empresa pode buscar inspirações em outras fontes como, universidades, hubs criativos, e até mesmo opinião pública. Assim, a organização ultrapassa os limites da companhia compartilhando os recursos e ideias internas com colaboradores externos.

Interessante! E como funciona a Inovação fechada? 
Na Inovação Fechada, o desenvolvimento das ideias e processos são feitos de forma interna. Ou seja, a empresa reúne grandes profissionais do mercado internamente para buscar soluções e ideias inovadoras para a questão a ser trabalhada. Geralmente, empresas com grande estrutura de desenvolvimento e pesquisa. O processo é feito de maneira sigilosa e a companhia detém todos os direitos autoriais daquilo que é realizado.

Comparando as duas 
Para ficar mais fácil de entender a diferença e ficar mais visual, vamos fazer um comparativo lado a lado:

Inovação fechada

  • Um grupo exclusivo de pessoas trabalhando para desenvolver um produto ou serviço.
  • Sem integração com recursos externos.
  • Processo de inovação mais demorado.
  • Maior custo de desenvolvimento por demandar mais equipes para o projeto.

Inovação aberta

  • Vários grupos para desenvolver um produto ou serviço.
  • Acesso a especialistas e soluções que podem estar em qualquer lugar do mundo.
  • Integração com recursos internos e externos. Trazer diversidade e uma visão mais 360 para a empresa, resultando em soluções fora da caixa.
  • Mais agilidade em pesquisa e desenvolvimento. Menor custo de desenvolvimento.
  • Redução dos custos com pesquisa e desenvolvimento.

Então, quer dizer que a Inovação Aberta tem mais benefícios?
Podemos dizer que sim!
E como podemos aplicar a Inovação Aberta em nossa empresa?

Programa de aceleração ou de ideias
São parcerias entre empresas e startups inovadoras. A união estimula novas ideias através das diferentes visões aliadas à tecnologia.

Hackathon
Hackaton (programar com excelência) é uma maratona de programação que estimula a criatividade dos participantes para propor mais soluções inovadoras. Esta competição é vivenciada pela equipe de tecnologia interna e grupos externos que gostariam de participar do desafio. É um ótimo meio de criar soluções eficazes.

Crowdsourcing
É uma busca de solução coletiva para as necessidades da empresa. Pode ser por meio de ideias, serviços ou até mesmo projetos abertos para profissionais interessados. Um bom exemplo de crowdsourcing é a Wikkipedia, pois utiliza o trabalho de voluntários para a criação e edição de seus verbetes.

Cocriação
Também existe uma outra forma de implementar a inovação aberta por meio de projetos de Cocriação. A empresa convida profissionais da área, fãs e até mesmo clientes para colaborar no processo de inovação do produto ou serviço. Outro fato interessante é que os resultados financeiros são divididos por todos os envolvidos no projeto.

Viu só como a inovação aberta está superpresente no mundo corporativo?
É uma ótima maneira de melhorar e acelerar processos de inovação dentro e fora da empresa.

Gostou do artigo e quer começar agora mesmo a implementar a Inovação Aberta em sua empresa? 
Nós, da Happmobi, temos um curso especial sobre isso!