Empowerment e RH

Publicado em: 09/11/2021

Devido à pandemia da COVID-19, em 2020, as empresas adotaram o sistema home office e algumas coisas mudaram…. Algumas?! Muitas coisas mudaram!

Quem pensou que ia ser uma adaptação ‘lar doce lar’, acabou descobrindo o quanto foi difícil lidar com os ruídos durante uma videoconferência, distrações que o ambiente doméstico pode influenciar durante o trabalho, ou até o caminhão de gás passando durante a daily.

Para aquela gestão mais tradicional, com certeza, foi e será mais difícil o novo ajuste do trabalho remoto. Não tem como ficar ‘de olho’ nos colaboradores, quando eles mesmos estão distantes…. É necessário se moldar às novas situações e ser, no mínimo, mais flexível.

Algumas empresas que adotaram pra valer o home office, mesmo com a flexibilização das regras de isolamento, consideraram o empoderamento dos colaboradores como uma nova forma de gestão.

E o que quer dizer isso?
O diretor de uma escola muito famosa, uma vez, citou que “são nossas escolhas que revelam quem realmente somos, muito mais do que nossas habilidades”. E Dumbledore estava falando exatamente sobre o poder da autonomia e da responsabilidade que cada um carrega.

O empoderamento no meio corporativo é fundamental para criar um ambiente rico, de novas oportunidades e favorável ao surgimento de novos líderes, porque permite que a gestão descentralize as decisões e dê liberdade para outras pessoas poderem “se revelar”.

Mas, é aquilo…. Quanto mais poder, mais responsabilidade! Agir com autonomia é um meio de promover aos colaboradores um crescimento profissional, e, não só isso! É uma forma de tomar decisões mais assertivas. Quando se delega responsabilidades para uma equipe, é uma demonstração de confiança e isso tem que ser feito com preparo.

Quais os benefícios?

  • Gestão inovadora
    Como foi mencionado, no sistema Home Office é necessário que haja a adaptação da gestão para inovar e se atualizar a cada momento, e principalmente, para que os colaboradores não se sintam caindo no ostracismo.
  • Descentralização
    Quando se tem autonomia, a consequência é que a relação nas equipes fica mais fortalecida e a proximidade entre os times é genuína.
  • Crescimento profissional
    Para aqueles que estão buscando uma chance de mostrar suas hard e soft skills, o empoderamento nas empresas pode ser a grande alavanca na carreira. Mas, usando outra citação do professor e diretor mais sábio do mundo fictício, “daqui um tempo nós teremos que escolher entre o que é certo e o que é fácil”.

Como implementar o empowerment na empresa?
A competitividade está cada vez mais acirrada no mercado, e, como previu Darwin, sobrevivem os mais adaptáveis! Existem 4 pilares para que o empoderamento realmente seja positivo para a gestão.

  • Colaboradores preparados:
    Não adianta delegar tarefas importantíssimas, ou até fixar metas para uma equipe que não esteja preparada. Antes de mais nada, deve haver um treinamento! É necessário que, para o empoderamento, o time se sinta confiante para exercer funções com autonomia.
  • Estrutura organizacional:
    O trabalho em equipe pressupõe assumir riscos e lidar com erros, por isso, a gestão precisa estar preparada para ser flexível e tolerante neste novo cenário.
  • Confiança:
    Confie! Tenha sempre uma visão de um ‘todo’ e não somente do que está à frente. Criar uma proximidade com seus colaboradores de forma empática, irá proporcionar a tal confiança que pode ser o que esteja faltando…. Pratique!
  • Responsabilidade:
    A liberdade é conquistada aos poucos e está atrelada à responsabilidade. Para que não haja desequilíbrio entre ambas, a ideia é potencializar as duas! A equipe irá ter prazer por desafios, o que estimula a aprendizagem e a vontade por novas mudanças.

E, pra fechar, uma grande reflexão para inspirar o empoderamento na sua empresa:
“Dê poder ao homem, e descobrirá quem ele realmente é”, Maquiavel.