Como driblar as redes sociais sem ter que largá-las

Publicado em: 14/09/2021

#SETEMBROAMARELO

Não é novidade que as redes sociais têm sido motivo de ataque gratuito e até mesmo um sentimento de mal-estar? Então por que simplesmente não largar? Isso tudo tem motivo e aqui nós vamos explicar tudinho!

Ah…O Instagram! Nós te amamos!

Já faz algum tempo que essa plataforma vem trazendo opções de publicações, engajamento e até de simplesmente conhecer novas pessoas. Em paralelo à tanta coisa boa, o nosso queridinho Insta vem trazendo alguns malefícios para saúde mental de muita gente.

É bem comum você entrar nos comentários de algum post polêmico e estar desenrolando uma briga totalmente sem motivo. ACREDITE, Muitas vezes nem se trata de viés político ou religioso (que também não é justificável), volta e meia o motivo de discussões é de algum novo clipe de música.

A coisa é tão nociva, que quando você vê, está ali a horas lendo os comentários. Afinal, quem realmente se importa com os protagonistas dessa novela, não é mesmo?!

Mas vamos lá … quem nunca recebeu um comentário ofensivo que atire a primeira pedra! Não precisa ser nenhuma Juliete para ter o glamour de ter comentários ‘legais’ e aqueles comentários provenientes de ‘haters’.

Então… Por que não largar?
Journal of Behavioral Addictions aponta que existe uma relação entre o uso das redes sociais, especialmente o Facebook, e o comportamento considerado de vício.

Pesquisadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos comprovam que esse ciclo de postagem nas redes sociais é muito similar ao efeito de drogas. Toda vez que você recebe um ‘feedback’ positivo por um post, seja por vários likes, ou por um comentário ‘fada sensata’, seu cérebro libera efeitos de dopamina dando sensação de prazer. E aí… Quando você estiver triste, irá pedir por mais.

Infelizmente, hoje as redes sociais têm sido um ‘mal necessário’. Principalmente, porque há muitos colaboradores/ empresas que usam Instagram como meio de veículo para propagar mensagens. O que se pede, é saber usá-las com sabedoria.

Outros grandes exemplos, fugindo do Instagram, é o Linkedin, redes sociais de profissionais que informam de maneira mais consistente sobre assuntos aumentando o conhecimento de contratação e até afunilando dúvidas sobre perfil de empresas.

Como engajar sua saúde mental em meio à tantas redes
Ter um tempo de uso durante as redes sociais (por um ‘time’ para o seu vício) já é um grande começo. Afinal, quanto mais você se expõe nas redes sociais isso acaba afetando diretamente no seu humor (com ou sem feedback).

E vamos lá, acho que isso não precisa ser mencionado, mas não se misture com brigas aleatórias e cyberbulling que rola na internet. Para melhorar sua saúde mental, pense no outro!

A dica final, para engajar sua saúde mental é: bora filtrar o consumo das páginas? Pare de ler comentários de clipe que não deram certo e procure algo construtivo para sua carreira! Alimentar-se mais mentalmente de coisas que agregam e menos de coisas polêmicas é como trocar bacon por salada. É difícil, mas é mais saudável!