R&S mais assertivos com a Candidate Persona

Publicado em: 13/01/2022

Texto Candidate Persona com lupa em pessoas

Como já vimos neste outro artigo, elaborar uma Persona pode ajudar a sua empresa a desenvolver e testar a recepção de novas ideias de produtos ou serviços antes de, efetivamente, lançá-las ao seu público.

Mas, isso pode ser aplicado ao RH?

Uma das grandes dificuldades das empresas é fazer com que a taxa de turnover, ou seja, a rotatividade dos colaboradores, seja a menor possível, porque isso demanda a necessidade novos processos seletivos e treinamentos até que o novo funcionário “pegue o jeito” das suas novas funções e rotinas.

Existe uma infinidade de testes que são aplicados nos processos de Recrutamento e Seleção (R&S) e que ajudam a identificar os candidatos com maior aderência às vagas abertas.

Mas, tudo ficaria mais simples se a sua empresa já partisse para o processo seletivo tendo uma ideia de qual seria o candidato ideal, não é mesmo?

É aí que entra a Candidate Persona. Ou seja,o candidato que a sua empresa espera que, idealmente, preencha a(s) vaga(s) em aberto.

E, assim como ocorre para o consumidor ideal, também existe uma forma de criar a representação do seu candidato modelo.

Sempre importante lembrar que a Persona é uma representação semi-ficcional de algo, no caso, o candidato que a sua empresa espera que preencha determinada posição.

  • O primeiro passo é olhar pra dentro.
    Quem são as pessoas que fazem parte da sua empresa e do time em específico para o qual a vaga está disponível?
    Converse com colaboradores e gestores para saber quais são seus objetivos profissionais, interesses, experiências profissionais, comportamentos e perfis e o que eles esperam de alguém que venha, futuramente, a fazer parte do time.

    Inicialmente, pode-se montar uma Persona geral, que represente o perfil do candidato ideal para a empresa como um todo e, conforme a necessidade, montar Personas direcionadas para cada processo seletivo.
  • Dê um nome e monte a história da sua Persona.
    Coletadas todas as informações prévias, partiu dar vida à Persona.

    Escolha um nome para ela, estipule uma idade, conte quais foram as suas experiências prévias, quais são os seus valores, habilidades técnicas e comportamentais, problemas que ela enfrenta no mercado de trabalho e o que almeja em termos de carreira. Humanize a sua Persona, com base no que a empresa e/ou seus times e gestores apontaram como sendo valiosas e alinhadas com os princípios do negócio!
  • Teste!
    Hora de botar a mão na massa!
    Com um modelo em mãos, chegou o momento de abrir efetivamente o processo de recrutamento e verificar se o que o RH elaborou como Persona realmente é plausível (lembre-se que ele deve representar uma pessoa real) e pode ser encontrado em algum candidato.

    Em caso positivo, muito bem! 👏

    Não deu certo? A Persona acabou se mostrando irreal? Bora reavaliar e verificar as eventuais falhas, em busca do candidato (fictício, rs) ideal!

Vantagens de aplicar a Persona do Candidato no RH da sua empresa
Ser a representação do candidato mais adequado para a sua empresa ou para determinada vaga, já é, por si só, uma baita vantagem, por ser um “norte” a se perseguir, mas, não para por aí.

Criar uma Candidate Persona dá ao RH uma noção melhor de onde buscar e do que procurar nos futuros candidatos, então, já dá pra fazer uma “peneira” mais rápida nos currículos e um roteiro de entrevista mais certeiro, para extrair deles o que não está no currículo.

Depois de selecionados, por já terem mais aderência ao perfil esperado da vaga, a curva de aprendizado e o tempo necessário para o desenvolvimento são menores.

Assim, o processo seletivo demanda menos tempo e tem uma qualidade mais alta, o que se refletirá num candidato com fit com a empresa e numa taxa de turnover menor.

Quer ficar por dentro das novidades do mundo da Educação Corporativa e do RH? Preencha o formulário abaixo e assine a nossa newsletter!